34º ACAMPA – Informações importantes e descrição de oficinas

Está chegando o 34º Acampamento de Carnaval e as inscrições já estão liberadas para todos.

Antes de fazer a sua inscrição na nossa home www.jevi.com.br é importante você saber de algumas coisas:

– As inscrições deste ano serão feitas em lotes: 1º lote (até 15/02): R$ 50,00, 2º lote (até 26/02): R$ 60,00 e 3º lote (27/02 em diante): R$ 70,00;
– A camiseta já está inclusa no valor de inscrição, basta escolher o seu tamanho ao se inscrever;
– É obrigatório a escolha de oficinas na inscrição online;
– Quem quiser fazer uma oficina integral, escolherá apenas uma opção no campo “oficinas integrais”;
– Quem não desejar fazer uma oficina integral, deverá escolher duas oficinas: uma no campo “oficina teórica” e outra no campo “oficina prática”.

Mas, como eu posso saber qual oficina eu vou escolher? Abaixo, segue um resumo de cada oficina e seu respectivo oficineiro:

 

OFICINAS TEÓRICAS (1 PERÍODO):

Fé e Política:

A partir do tema do ano, como entender a relação entre fé-espiritualidade com a política com vistas a transformação social.

OFICINEIRO: Pr. Roni Roberto Balz. Teólogo e Assistente Social. Pastor em Querência (MT), Videira (SC) e Blumenau (SC). Já fui membro do CONAJE e sempre colaborei no trabalho com a juventude.

 

Vias – ViDas em Comunhão!

A oficina será sobre o Tema e Lema da igreja para o ano de 2014 “Vias – ViDas em Comunhão” – a ideia é refletir sobre a presença de Deus em nossas viDas e como isso pode significar paz nas vias, em meio ao concreto, ferro e vidro de nossas cidades.

OFICINEIRO: Pr. Marcos Aurélio de Oliveira. Pastor na Paróquia dos Apóstolos em Joinville. 41 anos, casado com Diácona Nádia de Oliveira e pai de Bárbara e Tales. Cursei Teologia na Escola Superior de Teologia em São Leopoldo. No âmbito JE, atualmente desempenho a função de Orientador Teológico da JE do Sínodo Norte Catarinense e do Conselho Nacional da JE.

 

Culto e música em harmonia

Nesta oficina perguntamos como o celebração da comunidade molda a música que cantamos ou tocamos. Ou, em outras palavras, para que serve a música em nossas celebrações? Vamos, de forma interativa, discutir e entender a música em nossas comunidades.

OFICINEIROS: Ministrado por Matheus R. Pacher, estudante de música da FURB, musicista e coordenador do departamento de música da Paróquia Luterana de Timbó e Emerson Roepke, professor de música na rede pública de ensino e atuante como musicista em diversas comunidades luteranas.

 

Galo Verde: A Criação é de Deus, a responsabilidade é nossa

A oficina irá falar um pouco mais do novo projeto ambiental do Sínodo Vale do Itajaí.

OFICINEIRO: Pr. Clovis Lindner Aos 59 anos, já fiz muitas coisas. Sou pai e avô, escrevi um livro sobre Cidadania e cultivo um jardim. Sou pastor luterano (IECLB) e empresário de comunicação. Sou editor (www.jornalocaminho.com.br e www.novolhar.com.br). Comunicação é minha paixão. Sou parceiro na agência de publicidade Mythos(www.mythos.art.br), um empreendimento familiar.

 

O que é fé?

A fé possui três elementos básicos: confiança, conteúdo, vivência. O que significam esses elementos e como nós podemos confessar a nossa fé?

OFICINEIRO: Pr. Dr. Emilio Voigt é pastor e trabalha como assessor de formação do Sínodo Vale do Itajaí.

 

O que é um conselho?

Compreender um pouco da dinâmica de um conselho e despertar para o envolvimento em espaços decisórios como este.

OFICINEIRAS: Martina e Raquel são membros do Conselho Nacional da Juventude Evangélica da IECLB – CONAJE. Martina é também vice coordenadora do CONAJE e representante do Sínodo Centro Campanha Sul, ela vem da cidade de Candelária. Raquel é representante do Sínodo Norte Catarinense, da cidade de Joinville.

 

Jovens em ação

A fé gera ação que transforma. Convidamos a refletir sobre como colocar em prática a vontade de servir – Diaconia. Perceber as transformações, dinamismo, testemunho e crescimento ao gerar ações solidárias, doando seu tempo, trabalho e dons.

OFICINEIRA: Simone Voigt  é coordenadora do trabalho com jovens e programas de intercâmbio – Secretaria da Ação Comunitária – Secretaria Geral da IECLB.

 

O mundo é tão diverso… O que significa tolerar?

Os noticiários, todos os dias, estão cheios de notícias sobre violência, desrespeito e INTOLERÂNCIA entre as diferentes pessoas, países e religiões. Mas, afinal, o que significa SER TOLERANTE? Como jovem cristão e luterano, o que devo tolerar? Tudo? O que nos diz a bíblia, Jesus e Lutero sobre a tolerância? Nesta oficina, buscaremos aprender mais sobre esse tema e discutir essa ideia e sua importância para vivermos neste mundo tão diverso no qual estamos. Após participar de uma Consulta Internacional de jovens Luteranos sobre esse tema, gostaria de compartilhá-lo com vocês!

OFICINEIRA: Martha Maas é estudante de Letras, professora de Inglês e participante da Juventude Sinodal como secretária de comunicação e do Conselho Nacional da JE. Gosta muito de ler, ouvir música e acredita nas diferenças como constituintes de um mundo melhor e mais justo

 

Despertando para o trabalho com crianças

Essa oficina é direcionada para quem participa das atividades com crianças nas suas comunidades ou que deseja iniciar nestas atividades. Coordenação sinodal do Culto Infantil

OFICINEIRO: Coordenação sinodal do culto infantil

 

Somos diferentes. E agora???

OFICINEIRA: Erica Beulke. Graduação em Letras e Especialização em Língua Portuguesa, tendo exercido o cargo de professora na Rede Pública. Assistente Paroquial na Paróquia S.Mateus , em Joinville, por cerca de 9 anos, exercendo trabalho voltado ao Ensino Confirmatório e Grupos de Jovens. Estágio de 1 ano na Alemanha, na área de inclusão da pessoa com deficiência. Coordenadora do Departamento da Pessoa com Deficiência, no Sínodo Norte Catarinense, durante 10 anos. Pós-Graduação (lato-sensu) em Teologia , Bíblia e Missão, sendo o tema do TCC “Acolhida aos Jovens com Deficiência no Ensino Confirmatório”.

 

Que pais é esse, que demoracia é essa?

Refletir sobre o verdadeiro significado de “democracia” e discutir o panorama da democracia atual brasileira

OFICINEIRO: Rodolfo Fuchs. Coordenador do conselho nacional da juventude da IECLB, estudante de economia e militante estudantil.

 

Gênero: uma relação além do feminino e masculino

A oficina pretende trabalhar o conceito de gênero criando possibilidades para ampliar o conhecimento sobre o assunto e a relevância para nossa sociedade atual e nossa forma de ser Igreja/Comunidade.

OFICINEIRO: Mirian Ratz pastora na Paróquia Evangélica de Confissão Luterana em Timbó, nas comunidades Trindade e Mulde Alta. Mãe da Duda. Estudou na EST e no seminário de Matanzas em Cuba. Já esteve em diversos trabalhos pelo Brasil do sínodo Brasil Central, passando pelo Paranapanema e chegando ao Vale do Itajaí. Sempre envolvida em trabalhos com crianças e jovens, envolvida também na atuação de ONG´s. Foi orientadora teológica da JE no sínodo Brasil Central, do CONAJE e agora desempenha essa função no sínodo Vale do Itajaí.

 

OFICINAS PRÁTICAS (1 PERÍODO):

Defesa Pessoal

O objetivo da oficina este ano será: Introduzir as artes marciais para quem nunca teve contato e aprimoramento para quem já teve contato com elas. Com foco nos golpes de MMA que podem ser usados em um eventual acontecimento do cotidiano.

OFICINEIRO: Meu nome é Guilherme, tenho 18 anos, sou um lutador de MMA com a luta base a luta de rua, parei de lutar em 2012 e tenho meu cartel em 33-2-0(isso com lutas no profissional e amador). Sou kruang preta em muay thai, faixa preta em kickboxing, faixa marrom em jiu-jitsu e faixa roxa em judô, tenho contato com outras artes marciais porem nunca cheguei a fazer questão de graduar nelas. Treinei algum tempo na Z2, depois fui para a Casa da luta e lá me estabeleci e continuo treinando até hoje e também tive a chance de ensinar MMA por um tempo.

 

Dança de rua

O Objetivo da oficina é dançar e descontrair.

OFICINEIRA: Mariane Schwertl. Faço aulas de dança de rua desde os meus 9 anos. Dos 10 aos 15 participei de um grupo de competição e com ele dancei no festival dança de Joinville e no festival internacional de Hip Hop em Curitiba. Ano passado infelizmente eu tive de deixar o grupo de competição, mas continuo dançando.

 

Futebol Americano

A oficina pretendi demonstrar algumas técnicas básicas, algumas jogadas com o intuito de esclarecer o que é realmente o futebol americano que não é violência e sim muita técnica.

OFICINEIRO: Emerson jogou 4 meses no Timbo Rhinos juniors. Um ano no Timbo Rhinos. Dois anos no Timbo Rex que no ano de 2012 ficou em terceiro lugar no torneio touchdown o maior torneio de futebol americano do pais. E atualmente jogo no Timbo Rex na defesa.

 

Introdução ao Rugby

O Rugby vem crescendo no mundo, e aqui no Brasil nos últimos anos e novos times estão sendo criados. Em 2016 vamos estrear nas Olímpíadas do Rio. É um esporte de contato, em equipe, com o objetivo de marcar pontos, mais conhecido como TRY. Pode-se apenas passar para trás ou para o lado com as mãos, e para frente pode-se apenas chutar. Para impedir o avanço dos adversários, pode segurar apenas o jogador que está com a bola e derruba-lo, nosso chamado TACKLE. O Rugby forma mais do que atletas, forma seres humanos de caráter.

OFICINEIRA: Larissa Staack. Sou atleta de Rugby há 4 anos, jogadora do Brusque Rugby Clube. Tenho curso de arbitragem Nivel 1, que me dá o direito a bandeirar jogos. Com o Brusque Rugby, sou vice-campeã Catarinense, em 2012 fiz minha estreia junto com a equipe no Campeonato Brasileiro de Rugby, etapa de Florianópolis. Fui campeã de beach rugby (jogado na areia) em 2012 com o Desterro, primeira equipe de rugby de SC. Atualmente estava jogando pela equipe Costão Norte também de Floripa, conquistando o sexto lugar na etapa do Rio Grande do Sul do campeonato Brasileiro de Rugby sevens.

 

Enrolando a língua

Quem de vocês nunca ficou boiando enquanto os seus avós conversavam em alemão? Está cansado de não entender “bulhufas”? Então venha para minha oficina. Não! Você não vai sair um expert, mas vai aprender coisas básicas, divertidas e diferentes! Kommen Sie mit uns! Jugendgeneration in der welt.

OFICINEIRA: Hellory Zwicker. O alemão foi minha primeira língua e quero compartilhar um pouco do meu conhecimento com vocês, mostrando mais sobre essa língua que vem crescendo e abrindo muitas portas.

 

Grafyarte – LOTADA

OFICINEIRO: Pr Edelcio Tetzner

 

Decoração de velas

Decoração de velas para liturgia, altares, dinâmicas.

OFICINEIRA: Dagmar. Trabalha com produção de velas artesanais na cidade de Pomerode

 

Processos Criativos

Na oficina vamos entender um pouco sobre métodos criativos e aprender a praticá-los.

OFICINEIRO: James é publicitário, responsável pelo setor de criação de uma das agências de propaganda mais premiadas de Santa Catarina.

 

Sons da Pessoa

Um batuque com os pés, um som esquisito da garganta, um estalo diferente.. Quem nunca parou para observar quantos sons podemos produzir com nosso corpo? Além de cantar, nosso corpo pode produzir muuuuitos sons que podemos aproveitar musicalmente, não acham? Nesta oficina, vamos entender como podemos utilizar o nosso corpo para produzir sons interessantes, da percussão corporal ao canto.

Esta oficina é para as pessoas MAIS esquisitas, MAIS loucas, e MAIS bizarras de toda a JE. Venham se divertir e… FAZER MÚSICA!

OFICINEIRO: Matheus R. Pacher – Estudante de música da FURB, musicista e coordenador do departamento de música da Paróquia Luterana de Timbó. Trabalha com o ensino de música na igreja, desde o ensino individual ao coletivo. Também coordena um grupo coral jovem e alguns eventos de música em Timbó.

OFICINAS INTEGRAIS (2 PERÍODOS):

Dança Alemã

A dança folclórica alemã surgiu há muitos anos, em primeiro plano foram criadas regras rígidas no que dizia respeito à forma de dançar, vestimenta e comportamento enquanto estiverem utilizando o traje. Estas regras estavam baseadas na forma de se pensar em certa época. Logo, os jovens não entendiam o porquê de tantas regras e muitas vezes as infringiam. Eles dançavam por prazer, pela vontade de aprender novos movimentos e executá-los em bailes populares. Então surgiu um novo movimento denominado Jugendbewegung – Mobilização Jovem- que não só resgatou danças populares, mas também criou novas formas de danças com o intuito de chamar os jovens para dançar. Cada dança possui um significado, uma origem, uma característica que não pode ser modificada, mas sim transmitida de geração a geração. Esta oficina tem o intuito de ensinar aos participantes danças alemãs originais. Muitas dessas ainda são dançadas na Alemanha e na Áustria na sua forma tradicional.

OFICINEIROS: A oficina está sendo preparada por quatro jovens ativos em grupos de dança folclórica da região, participantes, coordenadores e ex-coordenadores de grupos tradicionais. Alguns deles envolvidos na organização de viagens de intercâmbio cultural para a Alemanha e Áustria no mês de Junho de 2013. Possuem eperiência na organização da oficina de dança alemã no acampamento de 2013.

 

Música Instrumental

Aberta à instrumentistas e interessados, não precisa de conhecimentos prévios. Jefferson é coordenador da JE de Balneário e Iago é da Je do Garcia, querem saber mais? É só se inscrever na oficina 😉 (Necessário levar instrumento e equipamento para uso pessoal).

 

Coral

A oficina trará da introdução a técnicas vocais e o despertar para a vontade cantar. As músicas trabalhadas terão relação com o Tema do acampamento.

OFICINEIRO: Eusébio. Natural da cidade de Guabiruba/SC concentra suas atividades artísticas na direção musical e regência de corais. É regente do Coro da FURB, do Coro Marita Deeke Sasse do Programa de Educação Permanente da FURB e da Associação Cultural e Coral Cristo Rei de Guabiruba. É professor de música do Departamento de Artes da FURB e do Curso de Música da UNIVALI nas disciplinas Teoria Musical, Harmonia, Contraponto, Canto Coral e Regência.

 

Teatro

Vamos trabalhar com técnicas de improvisação, que ajudam as pessoas a pensarem mais rápido e com clareza.

OFICINEIRA: Bianca Koffke. Fez aulas de teatro por um tempo e ballet por 6 anos, que auxiliaram nas técnicas de interpretação. Além de fazer parte por dois anos de um grupo de contação de histórias para crianças que criava peças e apresentava aos pequenos

 

UFA! Quanta oficina ein? Agora é só escolher qual fazer e mandar bala na inscrição, que será liberada em breve, na home do nosso site.

🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *