Palavra de Deus é luz e não loteria

imagesQueridos jovens!

Para esta semana, trago uma palavra do Salmo 119 bem conhecida: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho” (Salmos 119:105).

Para falar de um versículo bem conhecido, vou contar uma anedota, antiga, mas importante:

Conta a anedota que uma pessoa religiosa, tinha decidido que deixaria Deus lhe mostrar a palavra bíblica que dirigiria sua vida naquele dia. Para isso, então essa pessoa pegaria a sua Bíblia, fecharia os olhos, iria folhear várias páginas, e colocaria o seu dedo em algum lugar. Na primeira vez que fez isto, então ela abriu em Mateus 27.5 e lá dizia: “Então Judas foi e enforcou-se”. Ela logo fechou a sua Bíblia. Novamente com os olhos fechados, ela selecionou outro versículo, seguindo o mesmo ritual. Ao abrir os olhos, viu o que seu dedo havia marcado em Lucas 10.37: “Vá e faça o mesmo”. Ela se assustou, mas não se deixou perturbar e tentou uma terceira vez. Ao abrir os olhos, viu que estava escrito em João 13.27:”O que você está para fazer, faça depressa!”

Porque conto essa anedota antiga? Porque muitos agem de forma semelhante. Se não escolhem assim versículos meio que no susto, correm pra tudo o que é canto, buscam lugares onde dizem que “alguém” está profetizando ou fazendo revelações espantosas para todos que lá visitam. Acostumam-se a buscar pessoas e esquecem-se de buscar à Deus.

A vida cristã não pode se basear em um versículo ou outro, escolhido como em um jogo de loteria. Essa é uma prática é comum em seitas, ou em movimentos cristãos meio torpes. Lá se escolhem um versículo ou outro da Bíblia e ali firmam sua fé. Os cristãos autênticos crêem na Palavra de Deus em seu todo. Essa palavra de Deus é lâmpada para os pés e luz para o caminho. No Salmo 119.105, o escritor compara a Palavra de Deus a uma lâmpada. A luz que a palavra emite, não visa cegar ou atrapalhar ninguém com um brilho intenso, mas antes simplesmente indicar com clareza e segurança o caminho a seguir. É lâmpada e luz autêntica, que não cega.

Assim sendo, a palavra de Deus não é loteria. A palavra de Deus é luz e lâmpada para a vida. Por isso confiemos e vivamos a Palavra de Deus como ela verdadeiramente é: uma lâmpada para os nossos pés, uma luz para os nossos caminhos. 😉

Confiar e sonhar

“Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão (recompensa).”

Hebreus 10.35

Seu nome é Sylvester Stallone. Um lutador em todos os sentidos da palavra. Nasceu com uma paralisia facial o que lhe rendeu apelidos e bullying na infância. Em um ponto de sua vida estava tão pobre que roubou as poucas jóias que sua mulher tinha e as vendeu. As coisas ficaram tão ruins que ele acabou morando na rua. sim ele dormiu na estação de ônibus de Nova York por 3 dias. Incapaz de pagar aluguel ou comprar comida. O fundo do poço chegou quando ele teve de vender seu cachorro em uma loja de bebida para um estranho qualquer pois não tinha dinheiro para alimenta-lo mais. Ele o vendeu por $25, entregou seu cachorro e saiu chorando.

Duas semanas depois ele viu uma luta de boxe entre Mohammed Ali e Chuck Wepner e essa luta o inspirou a escrever o roteiro de ROCKY. Ele escreveu o roteiro durante 20 horas seguidas! Tentou vendê-lo e recebeu a oferta de $125.000, mas tinha apenas UM PEDIDO. Ele queria ESTRELAR no filme como o personagem principal ROCKY, mas o estúdio disse NÃO. Eles queriam uma “estrela” de verdade. Disseram que ele ” tinha um rosto engraçado e falava engraçado”. Ele saiu com seu roteiro. Depois de algumas semanas o estúdio o ofereceu $250,000, ele recusou, então ofereceram $350,000, e ele ainda recusou. Queriam o seu filme mas não o queriam. Ele disse NÃO! Eu tenho que estar nesse filme.

Depois de um tempo o estúdio concordou em lhe dar $35,000 pelo roteiro e o deixaram estrelar o filme. O resto entrou para a história do cinema. O filme GANHOU prêmios de MELHOR FILME, MELHOR DIREÇÃO, MELHOR EDIÇÃO e o prestigioso OSCAR de MELHOR FILME. Ele ainda foi nomeado como MELHOR ATOR! O filme ROCKY entrou para o s registros americanos da industria de cinema como um dos maiores filmes até então feitos. E você sabe a primeira coisa que ele fez com os $35,000? COMPROU DE VOLTA O CACHORRO QUE HAVIA VENDIDO. Ficou parado na loja por 3 dias até que o homem voltasse com seu cachorro. O homem se recusou a vende-lo mesmo por $100, Stallone então ofereceu $500, ele recusou. Ele então ofereceu $1.000. acredite ou não Stallone teve de pagar $15.000 pelo mesmo cachorro que ele vendera por $25.O mesmo Stallone que morou na rua, que vendeu seu cachorro pois não podia alimentá-lo é um dos maiores ícones do cinema mundial hoje.

“Não ter dinheiro é ruim, MUITO RUIM. A vida não será fácil. Oportunidades passarão por você ser um ninguém. Pessoas vão querer seu produto e não VOCÊ. É um mundo cruel. Se você ainda não é famoso, ou rico, ou bem conectado você vai achar ainda mais difícil. Portas se fecharão . Pessoas roubarão sua glória e esmagarão sua esperança. Você vai se esforçar, se esforçar e nada acontecerá. Então desolado, quebrado, pobre, você aceitará trabalhos que não o completam por sobrevivência. Quem sabe pode até acabar dormindo na rua. Mas NUNCA deixem que destruam seu sonho. Seja o que for que aconteça CONTINUE SONHANDO, mesmo quando esmagarem sua esperança CONTINUE SONHANDO, mesmo quando te deixarem sozinho CONTINUE SONHANDO. Ninguém sabe do que você é capaz a não ser você mesmo. Enquanto você estiver vivo, a sua história ainda não acabou.”

Sylvester Stallone

A pergunta decisiva

Numa universidade, dois amigos que cursavam medicina iam muito bem nas provas e trabalhos da faculdade. No final do semestre, ambos tinham notas entre 9 e 10. Havia uma prova final no curso de Química, mas, a dupla estava tão confiante nas suas notas que resolveram passar um final de semana festejando com amigos de uma outra universidade. 
A festa foi grande e também a ressaca. Ambos dormiram tarde demais e chegaram atrasados na universidade na segunda-feira, dia da prova final. Ao invés de tentar fazer o exame, a dupla procurou o professor depois com uma história que inventaram.
Os dois afirmaram que o carro deles teve um pneu furado e ficaram sem pneu de reserva. Segundo eles, demorou para consertar o pneu e isso resultou no atraso deles para o exame.
O professor considerou a história dos dois e concordou que daria uma segunda chance de fazer o exame no dia seguinte. Ambos estudaram para valer naquela noite e foram ao exame no dia seguinte, na hora marcada.
O professor colocou ambos em salas separadas e os entregou o exame. Quando começaram o exame, perceberam que a primeira pergunta era uma questão fácil e valia cinco pontos. Animados, responderam à primeira pergunta e viraram a página. Na segunda página havia apenas uma pergunta – “Qual dos quatro pneus furou?” A resposta valia 95 pontos.
O Senhor odeia os mentirosos, mas tem grande prazer nas pessoas sinceras e verdadeiras. Provérbios 12.22

ANIMAIS VÃO PARA O CÉU!!!

Eu tive um cachorro chamado Quincas. Não foi batizado porque não tinha pecado. Como Adão, andava nu, mas nunca foi expulso do paraíso. Seus pelos dourados lembravam o trigo de que falava Antoine de Saint-Exupéry.

Ocupou todos os lugares da casa. Ganhou uma poltrona da qual tinha ciúme. Certa vez, um pastor luterano, vestindo um terno preto, para assistir a colação de grau de doutorado de sua filha, sentou na poltrona do Quincas, que reagiu
pulando no seu colo. O pastor não deu nenhuma importância. Sua esposa, com um coração que transborda amor, cuidou de tirar os pelos das vestes do marido.

Quincas era um cão especial. Ficava com olhos brilhando na hora da refeição, mas aguardava paciente a oração. Quincas viveu na dependência da GRAÇA. Faltando quatro meses para treze anos, Quincas resolveu deixar este mundo. Eu e duas amigas estávamos ao seu lado. Foi cremado no cemitério de animais, em Petrópolis. Voltou para o Rio de Janeiro, sua terra natal, metamorfoseado em cinzas. Numa manhã de sábado, presentes alguns amigos, um amigo, pastor, fez uma celebração de gratidão a Deus pela vida do Quincas. Com muita eloquência, o orador declamou estes versos do poeta Belmiro Ferreira Braga:

  • “Pela estrada da vida subi morros,
  • Desci ladeiras, e afinal vos digo:
  • Se entre os amigos encontrei cachorros,
  • Entre os cachorros encontrei-te, amigo!”

No plano de DEUS PARA SALVAÇÃO TODA NATUREZA ESTÁ INCLUÍDA. “O que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais. Todos vão para o mesmo lugar; todos procedem do pó e ao pó tornarão” Eclesiastes 3,19-20). ”A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus…na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus” (Romanos,19-20).

 

 

 

A “teologia e a bíblia” de Marco Feliciano

Estimados jovens!

Vocês devem estar acompanhando muito das discussões levantadas em torno eleição do Deputado Federal Marco Felicino para a Presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, bem como de suas declarações polêmicas, seja no Planalto ou no púlpito de sua igreja.

Há muitas questões que devem ser refletidas, de forma sensata, clara e evangélica. Por isso, tudo no seu tempo, deverá ser conversado, também entre nós, em nossos grupos. Por isso, instigo a vocês a refletirem este tema também em seus grupos, com vossos ministros e ministras.

Como um ponta-pé inicial, trago uma reflexão do colega Pastor Mozart de Noronha, que atua no Rio de Janeiro, no que se refere à uma fala do Sr. Marco Feliciano almaldiçoando os irmãos e irmãs da África. Que ela nos ajude nesta tarefa importante de discernir o que é de Deus e o que não é.

Grande abraço à todos e a todas!

P. Gilson

A Bíblia não é um manual de direito positivo. Não é um código penal com artigos eternos e imutáveis. O texto em pauta,Gênesis 9,1-29 é de uma grande beleza. Mostra a MISERICÒRDIA de Deus para com o ser humano e também para com os animais. O “teólogo” Marco Feliciano em vez de,a partir deste texto, falar de um Deus que está sempre criando e dando novas possibilidades para a humanidade e que estabelece uma ALIANÇA de AMOR com a humanidade e com toda a NATUREZA, destaca uma parte do texto para falar de maldição para o continente africano. Com certeza absoluta Noé nem conhecia a extensão do território da Africa, que, na sua época nem se chamava Africa. O grande ecologista(protetor dos animais) Noé, estava curtindo uma tremenda ressaca da bebedeira que tinha tomado para festejar os frutos das videiras(caso eu estivesse lá teria celebrado com ele)nem sabia o que estava fazendo. Mandou uma maldição para o neto. Pobre neto! Que culpa tinha o pobre menino! No fundo se tratava de uma briga familiar. Agora eu pergunto: Até que ponto Deus transfere o poder de bênção ou maldição para um idoso bêbado? Até que ponto um idoso curtindo sua ressaca tem poder para amaldiçoar um continente inteiro? Marco Feliciano deve ter feito um curso de teologia na UNIVERSIDADE VINHO DE NOÉ.

P. Mozart de Noronha

 

Um ser humano agindo com humanidade

O que era para ser unicamente uma atitude pessoal ganhou o mundo graças a uma turista do Arizona que registrou com a câmera de seu celular e postou no Facebook …a imagem de um ser humano agindo com humanidade. Estranho mundo esse nosso… O que deveria ser corriqueiro casou espanto e admiração… Foram mais de 400.000 compartilhamentos. Tudo começou quando o Larry DePrimo um policial de Nova York de 25 anos fazia sua ronda normal pela 7º Avenida na altura da Rua 44… DePrimo, observou sentado numa calçada um morador de rua que tremia de frio… Sem ter com que se cobrir e descalço o homem tentava se aquecer mantendo-se encolhido e silencioso. Diante da cena, o jovem policial se aproximou olhou, deu meia volta, entrou uma loja e com o dinheiro que carregava em seu bolso, comprou um par de meias térmicas e uma bota de inverno – gastou 75 dólares. De volta à presença do morador de rua, DePrimo, lhe entregou as meias e as botas. O homem, segundo DePrimo, deu um sorriso de orelha a orelha e lhe disse: “Eu nunca tive um par de sapatos em toda a minha vida”. No entanto, o gesto não se conclui na entrega do presente… Percebendo que o morador de rua tinha dificuldade em se mover, o policial se agachou, colocou as meias, as botas, amarrou os cadarços e pergunto: ficou bom? A resposta foram dois olhos felizes, lagrimejados e um novo sorriso. Ao se despedir, DePrimo perguntou se o homem queria um copo de café e algo para comer… “Ele me olhou e cortesmente declinou a oferta. Disse que eu já havia feito muito por ele”. Aqui deveria ser o fim da cena. O pano cairia e todos iriam para casa… Mas não foi. Jennifer Foster, autora da foto, foi para casa abriu seu computador e postou em sua página a foto e escreveu o seguinte texto, dirigido ao Departamento de Policia de Nova York. “Hoje, me deparei com a seguinte situação. Caminhava pela cidade e vi um homem sentado na rua com frio, sem cobertor e descalço. Aproximei-me e justamente quando ia falar com ele, surgiu por trás de mim um policial de seu departamento.O policial disse: ‘tenho umas botas tamanho 12 para você e umas meias. As botas servem para todo tipo de clima. Vamos colocar’?” “Afastei-me e fiquei observando. O policial se abaixou, calçou as meias no homem, as botas e amarrou seus cadarços. Falou alguma coisa a mais que não entendi, levantou e falou, cuide-se”. “Ele foi discreto, não fez aquilo para chamar a atenção, não esperou reconhecimento, apenas fez”. “Se foi sem perceber que eu o olhava e que havia fotografado a cena. Pena, me faltou coragem para me aproximar, lhe estender a mão e dizer obrigado por me fazer crer que a policia que sonho é possível”. “Bem, digam a ele isso por mim”. Jennifer Foster. Em poucas horas, o texto e a foto de Jennifer pipocaram por todo o território americano e por boa parte do mundo. Larry DePrimo, soube por um colega que lhe telefonou para contar… Quando voltou ao trabalho e se preparava para sair às ruas foi chamado por seus superiores, ouviu um elogio, recebeu abraços de seus companheiros e quando seu chefe lhe disse que o departamento iria lhe ressarcir o dinheiro gasto de seu próprio bolso, Larry recusou e disse: “Não senhor, obrigado. Com meu dinheiro, faço coisas nas quais acredito”.
Fonte: Elmundo.es/Nueva York e Newsday.
Extraído do Facebook

Quarta-feira de Cinzas

A Quarta-feira de Cinzas é o primeiro dia da Quaresma. Conta-se 40 dias antes da Semana Santa, que inicia pelo Domingo da Paixão, ou, Domingo de Ramos. A Quarta-feira de Cinza é o dia para o Arrependimento. Os primeiros cristãos vestiam-se com panos rústicos e jogavam cinzas sobre a cabeça sinalizando humildade diante de Deus. Depois de séculos as pessoas cristãs esqueceram dessas tradições… As cinzas nos colocam diante do que não pode ser refeito. Os limites incomodam os seres humanos. Arrepender-se do mal é o primeiro passo em direção à Salvação que encontramos em Cristo.

Texto da Catequista Sara Regina Hoppen

Regras básicas de cuidado do seu ministro(a)

Caso seu pastor(a), diácono(a), catequista, missionário(a) participe do acampamento, tenham a gentileza de cuidar muito bem dele(a):

 

– abraçando-o muito sempre que o encontrar;

– alimentando-o com as melhores bolachas, frutas, carnes e sucos;

– deixando-o dormir, sem fazer nenhum barulho;

– se possível, montando sua barraca no melhor lugar disponível;

– deixando-o ganhar no jogo de cartas (tipo no uno)

– dizendo que ele/ela é sempre o mais bonito(a) e simpático(a) de todos.

 

Enfim… tratem-nos assim, pois assim trataremos a cada um e a cada uma de vocês.

“Novo mandamento vos dou, que vos ameis uns aos outros.”

 

Bom acampamento à todos nós!

P. Gilson

(em nome de todos os ministros/as)

Você educa seu olhar?

Quando nos referimos à educação, muita coisa vem à mente: educação no trânsito, na rua, educação com os mais idosos, educação social, religiosa, alimentar, cívil, moral, social, etc… Educação é algo que se aprende e que, por isso, deve ser exercitado. Assim, torna-se sábio poder e saber educar nossos sentidos e nossas ações para a direção de uma boa educação.

Quero saber se vocês tem seus olhos educados? Eles sabem olhar para aquilo que é essencial e importante? Quero refletir com vocês olhando para alguns exemplos a seguir:

Se você colocar um falcão em um cercado de 1m², inteiramente aberto em cima, ele se tornará um prisioneiro, apesar de sua habilidade para o vôo. A razão é que um falcão sempre começa seu vôo com uma pequena corrida em terra. Sem espaço para correr, nem mesmo tentará voar e permanecerá um prisioneiro pelo resto da vida, nessa pequena cadeia sem teto.

O morcego, criatura notavelmente ágil no ar, não pode sair de um lugar nivelado. Se for colocado em um piso completamente plano, tudo o que ele conseguirá fazer será andar de forma confusa e dolorosa, procurando alguma ligeira elevação de onde possa se lançar ao vôo.

      Um zangão, se cair em um pote de vidro aberto em cima, ficará lá até morrer ou ser removido. Ele não vê a saída no alto, por isso persiste em tentar sair pelos lados, próximo ao fundo. Procurará uma maneira de sair onde não existe nenhuma, até que se destrua completamente de tanto se atirar contra as paredes do vidro.Existem pessoas como o falcão, o morcego e o zangão: atiram-se obstinadamente contra os obstáculos, sem perceber que a saída está logo acima.

É comum percebemos que por vezes somos como um zangão, um morcego ou um falcão, cercado(a) de problemas por todos os lados. Olhamos para tudo o que é lado, mas esquecemos do grande ensinamento de Jesus Cristo, que quer nos lembrar e educar nossos olhos a voltar-se para cima. E lá estará a saída: DEUS, O NOSSO SENHOR… à distância soente de uma oração! Confie Nele!

POR ISSO, NUNCA ESQUEÇAM DE CONSTAMENTE EDUCAR OU REEDUCAR SEU OLHAR.

O salmista diz: Elevo os olhos para os montes, de onde me virá o socorro? O socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra. (Salmo 121.1-2)

Paz e Graça à todos(as)

P. Gilson. 😀